Home Destaques Lula volta a cobrar redução da taxa de juros, Campos Neto precisa...

Lula volta a cobrar redução da taxa de juros, Campos Neto precisa se explicar

246
0

O presidente Lula voltou a defender a redução dos juros no Brasil. Ele também fez uma cobrança ao presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, que, para o petista, precisa explicar ao povo e ao Senado por quais motivos a instituição não reduz a Taxa Selic.

Definida pelo Comitê de Política Monetária (Copom), do BC, a taxa está em 13,75% ao ano – o maior patamar em seis anos e meio

“Apenas o juro precisa baixar, porque também não tem explicação. O presidente do Banco Central precisa explicar, não a mim, porque eu já sei o porque ele não baixa, mas ao povo brasileiro e ao Senado, por que ele não baixa [a taxa]”, disse.

Com o Banco Central independente, Lula não tem poder para demitir Campos Neto, que foi indicado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro para a presidência da instituição.

Somente o Senado pode retirar Campos Neto da presidência do BC, o que não está no radar da Casa Legislativa, apesar da pressão de governistas. O mandato de Campos Neto na instituição financeira vai até o fim de 2024.

O presidente do BC tem dito que a definição da taxa de juros segue critérios técnicos, e levam em consideração diversos aspectos, como a inflação e a credibilidade econômica do país.

Críticas reiteradas

A fala desta segunda-feira, feita em live transmitida nas redes sociais de Lula, é mais uma declaração do petista contra Campos Neto. Desde o início do ano, Lula e integrantes do governo e do PT cobram cortes na Selic.

“Ele [Campos Neto] não tem nenhum compromisso comigo, tem compromisso com quem? Com o Brasil? Não tem. Tem compromisso com o outro governo, que o indicou. Isso é importante ficar claro. E tem compromisso com aqueles que gostam de juro alto, porque não há outra explicação”, disse Lula em maio.

Copom se reúne nesta semana

A taxa Selic está em 13,75% desde agosto de 2022. O Comitê de Política Monetária (Copom) se reúne nesta semana para decidir sobre os juros.

Na semana passada, o presidente do BC afirmou que a demonstração de confiança do mercado na economia brasileira abre espaço para corte na taxa Selic “à frente”.

“A curva de juros futuros tem tido queda relevante. Isso significa que o mercado está dando credibilidade ao que está sendo feito, o que abre espaço para atuação de política monetária à frente”, disse Campos Neto.

Entretanto, Campos Neto falou que o Banco Central precisa agir com “parcimônia” e que os juros não podem ser baixados de forma artificial, sob o risco de não se alcançar o resultado almejado.

Especialistas do mercado financeiro preveem que, na reunião desta semana, a taxa de juros deve ser mantida em 13,75%

E que, a partir de agosto, o índice começa a recuar – passando para 13,50% ao ano, um corte de 0,25 ponto percentual.

A estimativa anterior do mercado era de que os juros começassem a cair somente em setembro desse ano

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here