Home Destaques MBL escolhe Kim Kataguiri como pré-candidato à Prefeitura de SP

MBL escolhe Kim Kataguiri como pré-candidato à Prefeitura de SP

276
0

O Movimento Brasil Livre (MBL) escolheu o deputado federal Kim Kataguiri(União Brasil) como nome que apoiará na pré-candidatura à Prefeitura de São Paulo nas eleições municipais de 2024. Kataguiri venceu as prévias organizadas pelo MBL com 56,13% dos votos. Ele disputava com o também colega de partido, o deputado estadual Guto Zacarias, que é vice-líder do governo na Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp).

Com o resultado, o União Brasil passa a ser ainda mais pressionado para lançar um candidato próprio em 2024. Com a desistência do deputado federal Ricardo Salles (PL-SP) para concorrer, a indicação de Kataguiri como nome da direita para a disputa tem ganhado força, principalmente por integrantes do MBL.

https://a5d6d58c9ac0e70d4d43050f305c19ae.safeframe.googlesyndication.com/safeframe/1-0-40/html/container.html O deputado disse que como prefeito de São Paulo terá muito mais influência no Congresso Nacional. “A Prefeitura de São Paulo é um espaço político que te dá espaço para influenciar o voto de muitos deputados federais do estado. Eu não deixaria de fazer o papel propositivo e aumentaria a influência sendo prefeito, tendo o espaço e orçamento maior do que muitos estados”, disse.

Até o momento, o União Brasil, partido de Kataguiri, tem mantido apoio à reeleição do prefeito Ricardo Nunes (MDB). O presidente da Câmara Municipal, Milton Leite (União Brasil), dirigente da legenda, é apoiador de Nunes. À GloboNews, ele afirmou que o cenário ainda é muito prematuro e que todos os filiados têm direito a se lançar como opções para o Executivo paulistano.

A definição do União sobre ter candidato próprio vai ocorrer na convenção municipal do partido, no ano que vem. Leite, no entanto, assegura que o União Brasil está focado no apoio a Ricardo Nunes e que “a toda hora” convida o prefeito para se filiar ao partido. “A hora que ele quiser, assina a ficha”, disse.

O MBL – que se apresenta como um movimento político suprapartidário e que promove o liberalismo – aposta nos resultados que teve ao apoiar seu representante Arthur do Val, o “Mamãe Falei”, em 2020, quando o então candidato pelo Patriotas obteve 500 mil votos, quase 10% dos votos válidos computados pelo Tribunal Superior Eleitoral, e ficou em quinto lugar nas eleições.

“Não sobrou ninguém no campo da direita e nosso potencial já foi conhecido com 10% nas eleições passadas”, disse o coordenador nacional do Movimento Brasil Livre, Renan Santos. Do Val era deputado estadual à época e, dois anos depois, teve o mandato cassado pela Alesp por falas sexistas contra mulheres ucranianas

O MBL mantém uma posição de diálogo com o União Brasil, para que Kim Kataguiri não precise deixar o partido. Pelas regras eleitorais, os deputados perdem o mandato eletivo se saírem do partido sem justa causa. Caso precise sair da legenda, as opções seriam forçar uma expulsão, o que não resulta na perda de mandato, ou pedir na Justiça o direito de desfiliação, sob a alegação de perseguição, por exemplo.

Tabuleiro

O atual prefeito de São Paulo tem se colocado como opção de Centro para se manter no cargo e buscado reforçar o apoio de legendas com chances de lançar candidatos próprios, como PL e União Brasil.

Nunes tem se aproximado do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) e há articulações para que ele migre para o PL ou tenha como vice alguém da legenda. Já o comando do partido na capital paulista também declarou apoio a Nunes e tem cargos na gestão do atual prefeito.

Com a desistência do deputado federal Ricardo Salles (PL-SP) de concorrer à prefeitura em 2024, as indicações do senador Marcos Pontes (PL-SP) e do deputado Kim Kataguiri (União Brasil-SP) ganharam força como opções da direita para a disputa.

A possibilidade da escolha de Marcos Pontes como candidato pelo PL já foi sinalizada pelo presidente do partido, Valdemar da Costa Neto, ao programa Estúdio I em maio. À época, no entanto, Salles ainda se colocava como a primeira opção da legenda para as eleições municipais do ano que vem.

Pontes teve mais de 10 milhões votos como senador no ano passado e é visto por integrantes do partido como um candidato viável e já conhecido do eleitorado paulistano.

Na ala da esquerda, os principais nomes para a eleição de São Paulo são os deputados Guilherme Boulos (PSOL) e Tabata Amaral (PSB). Boulos conta com apoio do PT, que não deve lançar candidato próprio e promete apoia-lo na campanha.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here