Home Destaques Nestlé fecha a compra a Kopenhagen e aposta na expansão da rede

Nestlé fecha a compra a Kopenhagen e aposta na expansão da rede

3648
0

A Nestlé anunciou a compra do Grupo CRM, dono das marcas de chocolate Kopenhagen e Brasil Cacau e da rede de cafeterias Kop Koffe. O valor da aquisição, que foi fechada na noite da quarta-feira, não foi divulgado, mas pessoas próximas às negociações dizem que envolveu algo em torno de R$ 4,5 bilhões.

A aquisição agora terá de ser aprovada pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade). Segundo a Nestlé – que esperou mais de 20 anos pela aprovação da compra da Garoto, em 2002 – a expectativa agora é de que a conclusão do negócio ocorra já em 2024.

Renata Vichi, presidente da CRM, continuará no comando da empresa. Ela tem uma história de 25 anos no grupo, onde era sócia de seu pai, Celso Ricardo de Moraes. Em 2020, ele vendeu sua participação na CRM para o fundo americano Advent International, mas Renata seguiu à frente das operações da empresa, função que vai continuar exercendo.

Expansão

Pelos termos do negócio fechado na noite de quarta-feira, o fundo Advent vendeu 100% de sua participação na CRM para a Nestlé, mas a executiva segue como sócia, com fatia não revelada, ao lado dos suíços na CRM.

Segundo Renata, que vai continuar como a presidente da unidade de negócios, o objetivo é prosseguir com os planos de expansão do grupo e triplicar a rede por meio de franquias para 3 mil unidades até 2026.

Essa meta de expansão havia sido definida antes da aquisição, mas foi avalizada pela Nestlé. Desde a entrada da Advent na CRM, a Kopenhagen dobrou de tamanho, em número de lojas, faturamento e Ebitda (lucro antes dos impostos, juros e amortizações).

“Quando a Advent chegou, o plano era dobrar de tamanho em cinco anos, mas fizemos isso em três anos”, disse a executiva. “Agora, iniciamos um capítulo novo com a Nestlé.”

Wilson Rosa, sócio da Advent, contou que o fundo decidiu realizar um processo competitivo para analisar os rumos de seu investimento na Kopenhagen. Entre as opções, estava a venda da participação ou uma abertura de capital (IPO, na sigla em inglês). E, para isso, contratou o Goldman Sachs. “Ao longo do processo, fomos ficando cada vez com afinidade maior com a equipe da Nestlé”, disse o executivo.

Ao longo do processo de venda, o grupo CRM foi oferecido a outros nomes no mercado. Oficialmente, os executivos não revelam quem participou, mas pessoas próximas às negociações dizem que a Cacau Show e a suíça Lindt estavam na disputa.

 

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here